06/08/2019 às 13h25min - Atualizada em 07/08/2019 às 12h03min

Brasil sedia debates nacionais e internacionais sobre mudanças climáticas e crises hídricas

Vivemos o período mais quente dos últimos 2 mil anos e a comunidade científica prepara-se para debater o tema na Semana Latinoamericana e Caribenha de Clima e no Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos

DINO
https://eventos.abrh.org.br/xxiiisbrh
Adilson Pinheiro, presidente da ABRHidro

Cientistas de todo o mundo voltam sua atenção para o recente estudo internacional que confirma o aquecimento global contemporâneo como maior evento climático dos últimos tempos. De acordo com artigo recente publicado por cinco pesquisadores na Revista Nature, o período mais quente dos últimos dois milênios ocorreu no século 20 em mais de 98% do globo. O efeito das mudanças climáticas tem atingido sociedades por todo o Planeta e, sem dúvida, é considerado o maior desafio da humanidade. Com a Terra aquecendo cada vez mais pela contínua liberação de dióxido de carbono - resultado da queima de combustíveis fósseis -, os padrões dos ciclos da água terrestre se alteram. Crises hídricas por cheias e secas proliferam e estão na lista de preocupações de muitos países, inclusive do Brasil.

Para tratar deste assunto, dois eventos irão movimentar a comunidade científica, agentes governamentais e do setor nos próximos meses: o primeiro é a Semana Latinoamericana e Caribenha de Clima, de 19 a 23 de agosto, em Salvador (BA), um dos eventos regionais organizados pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) que antecedem a COP-25, maior conferência da ONU acerca do tema, prevista para dezembro, no Chile. A COP teve sua maior conquista em 2015, com a aprovação por 195 países do primeiro acordo universal da história, o Acordo de Paris, cujo principal objetivo é o de formular metas de redução das emissões de gases de efeito estufa no contexto do desenvolvimento sustentável.

NOVOS ESTUDOS

Na sequência, vem o XXIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos (SBRH), que acontecerá de 24 a 28 de novembro, em Foz do Iguaçu (PR), com a presença de renomados especialistas e que trará uma mesa redonda específica para debater mudanças climáticas. Professores e pesquisadores ligados à Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRHidro), entidade promotora do evento, têm aprofundado estudos sobre o impacto das mudanças no setor hídrico nacional.

Um deles é Walter Collischonn, professor de Hidrologia nos cursos de Engenharia Ambiental e Engenharia Hídrica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e líder do grupo de pesquisa em Hidrologia de Grande Escala, no IPH-UFRGS. No início dos anos 2000, ele desenvolveu o MGB-IPH - um modelo matemático para representar os processos hidrológicos em bacias hidrográficas de grande escala. Collischonn coordenou, ao lado de outros pesquisadores do INPE e da UNIFEI, uma pesquisa sobre os impactos de mudanças climáticas nos usos da água por hidrelétricas, transformado em livro em 2014.

Outro pesquisador vinculado à ABRHidro, Pablo Borges de Amorim, doutor em Ciências Naturais com ênfase em desenvolvimento de cenários de ameaça climática para estudos hidrológicos pela Technische Universitaet Dresden, Alemanha, lembra que, mesmo que as emissões de gases de efeito estufa parem hoje, o Planeta continuará aquecendo por mais algumas décadas. "A gestão integrada dos recursos hídricos, em conjunto com avaliações de risco climático, são formas promissoras de tornar a sociedade mais resiliente às alterações climáticas", destaca.

Para o presidente da ABRHidro, professor Adilson Pinheiro, é fundamental orientar a sociedade brasileira sobre as mudanças climáticas, pois o tema ainda se mantém restrito às instituições de ensino e pesquisa do País. "Já estamos vivendo uma realidade sem, no entanto, considerarmos efetivamente as suas implicações em nosso modo de vida. Por isso, temos o compromisso de levar o debate para uma mesa redonda no Simpósio de novembro com a expertise de profissionais e pesquisadores do Brasil e do exterior. "Propor medidas de adaptação e de recuperação dos ecossistemas deve ser nosso maior propósito", finaliza.

O XXIII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos terá conferências com renomados especialistas nacionais e internacionais do setor, como os brasileiros Oscar Moraes Cordeiro Netto, Benedito Pinto Ferreira Braga Jr e Carlos Eduardo M. Tucci, o austríaco Günther Blösch, a inglesa Susanne Charlesworth e o norte-americano Peter A. Troch. São esperados mais de 2 mil participantes no evento, que também sediará cursos, exposições, debates e apresentação de 1.407 trabalhos acadêmicos selecionados.



Website: https://eventos.abrh.org.br/xxiiisbrh
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »