09/09/2019 às 10h42min - Atualizada em 09/09/2019 às 10h51min

Congresso da FeSBE começa nesta segunda

Evento conta com a presença de participantes de diversos países e aborda temas sobre saúde humana, animal e meio ambiente

DINO

Começa hoje (09/09), em Campos do Jordão, São Paulo, e vai até sexta-feira (13/09), a XXXIV Reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FeSBE). São mais de 700 inscritos que debaterão pesquisas nas áreas da saúde humana, animal e os impactos do meio ambiente.

Entre os convidados, Julie Kay Andersen, do Instituto Buck para pesquisas em envelhecimento, situado na Califórnia, nos Estados Unidos, e que falará sobre riscos de pesticidas no envelhecimento das células do cérebro. Durante o congresso, haverá um simpósio satélite reunindo Brasil, Chile e Austrália e que contará com os pesquisadores Miguel Allende e Alvaro Glavic, da Universidad do Chile, Peter Currie, Susie Nilsson, Andrew Laslett, Jan Kaslin e Mirana Ramialison, do Instituto de Medicina Regenerativa, da Austrália, com a comunidade científica brasileira.

Palestrantes brasileiros ainda abordarão temas que implicam diretamente na saúde humana como a prescrição do hormônio melatonina para recuperar disfunções provocadas pelo uso de gatgeds e outros equipamentos que emitem luz azul durante a noite.

A terapia genética como um novo potencial terapêutico contra o envelhecimento e a perda de peso nas doenças degenerativas será outro dos temas abordados durante o congresso e, quem falará sobre este assunto, é o professor Anselmo Morisco, da Universidade de São Paulo (USP). Ele apresentará novidades desse tema descritas em uma patente depositada e em seu artigo que acabou de ser publicado no periódico internacional Acta Physiologica.

A poluição ambiental e o impacto na saúde também terão destaque durante o congresso em palestras de Walter Zin, Professor Emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sobre a exposição ao biodiesel e os efeitos pulmonares. Em outra conferência, a pesquisadora Maria Tereza Nunes, da USP, abordará alguns dentre os 800 poluentes ambientais suspeitos de desregular o sistema hormonal em humanos.

A Federação de Sociedades de Biologia Experimental é uma entidade que reúne 22 sociedades científicas e milhares de pesquisadores em todo o país.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »